26 de outubro de 2008

onda

irradia a dormência
escorregando pelos nervos
traz espamos de leveza
em alegres contrações
olhos gelatinosos para coloridas distorções
roça pelos cabelos o pescoço solto
muito prazer estamos em Copa
amigos amantes em óculos escuros
brilham de suor (gotas salgadas d'alma)
estranhos ruídos coçam os ouvidos
extravagantes gengivas na exibida boca
declara independência ao amor próprio

20 de outubro de 2008

des.dém

em desapego
desafeiçoa também do corpo
despindo-se por sorrisos retos.

no despudor
desabitua também à alma
deitando-se em camas nunca antes feitas.

no outro
desapega também do sorriso
desafeiçoando-se dos leçóis limpos.

na alma
despia-se também dos pudores
desabituando-se de prazeres diminutos.

11 de outubro de 2008

ma.ni.cu.re

Dedos em água morna
espátula para empurrar
cutícula, pele grudada,
inconveniência
cresce sem parar.
...
Alicate cai no chão!
Não corta mais - cega
segura pedaços aleatórios,
perfura capilares,
não há nada que faça estancar
alicate que não corta mais
só amolação.
...
Lixa na aspereza.
...
Esmalta:
Deixa Beijar de primeira
e na segunda sempre
Rebú!
...
O extra-brilho faz durar.

7 de outubro de 2008

des.co.ber.ta (II)

para que chaves se eu não mais tenho portas minha
lombar solta abdomen ativo coluna reta mão no
chão ritmo calmo sem ansiedades incontroláveis me
questionando sempre um chocolate em cima da mesa
minhas palavras na balança lutando contra minha
vaidade-pudor cuidando da minha vaidade-beleza
me emociono com meus próprios pensamentos
converso sozinha o tempo todo fazendo diálogos
com a expectativa alheia gozo de verdade e duas
vezes estremeço não me mexo no tempo parado volto
o momento se encerra na lembrança só a sensação não
há espera do porvir já que hoje é hoje e amanhã sempre
sendo amanha e no dia de hoje faz sol e não venta muito

4 de outubro de 2008

in.ten.to

Pneu vazio
sem ar.
Oh calibra.dor!
No posto o
moço: -desiste, vai a pé
como é que é?
Será?
Em outro posto,
outro moço
soturno e solícito.
Sorrio
com ar.
En.contra vento
-desiste!
Será?!
Marcha leve
capacete, esquece!
Carro ao lado
raspo o meio do fio,
ciclovia para subida
calçada na descida,
de sede decido
água? de coco!
Será!
Morros a vista
de prazos longos
(consumo a toa:
1 baton bonina
1 pantalona)
É?!
Arpoa.dor
ousa.dia suave
mergulho
ah! mar!
me orgulho
a nado me lavo
a nada me levo
ponta acesa
mansa onda
me lança.
É!
tão bom!
Estou sentindo
Liberdade.